logo

Pesquisar

Lazer Rio Grande do Norte

Com mais de 400 km de litoral, é natural que os destinos mais procurados no RN sejam as praias potiguares. Mas há muito a ser explorado fora Resultado de imagem para praias  rio grande do nortedos roteiros dos famosos passeios de burguês nas dunas. O turismo no interior do Rio Grande do Norte destaca-se principalmente pelas festas de carnaval (Caicó, Macau e Guamaré), São João (Mossoró) e de datas religiosas (Festa de Santana em Caicó e Currais Novos; de Santa Luzia em Mossoró; de Nossa Senhora da Guia, em Acari; e de São Sebastião em Parelhas e Caraúbas). No entanto, tem crescido bastante a procura pelos festivais gastronômicos (Martins e Pipa) e literários (Pipa). Para quem gostam de frio, as temperaturas das regiões serranas de Monte das Gameleiras, Martins e Serra de São Bento chegam a 15 graus e são um convite para se apreciar uma conversa em torno de uma fogueira. O turismo é responsável por uma das principais receitas do Estado do RN. Gera mais de 100 mil empregos e possuem outras 54 atividades atreladas a si direta ou indiretamente. Leitos: 40 mil (sendo 28 mil em Natal - IBGE) - proporcionalmente, é um dos maiores números de leitos do Brasil. Número de hotéis: mais de 250 (Ministério do Turismo). RN - 2.618.348 (2.449.726 brasileiros e 168.622 estrangeiros – Secretaria Estadual de Turismo, em 2012). Natal - 1.701.099 (1.590.187 brasileiros e 110.912 estrangeiros – Secretaria Estadual de Turismo, em 2012). Alta estação: Novembro a março (em 2012, janeiro foi o mês mais procurado por turistas, seguido por dezembro) Principais Pontos Turísticos: Forte dos Reis Magos (Natal): Em forma de estrela, foi à primeira construção da capital — fundada em 25 de Dezembro de 1599 — daí o nome Natal. Foi erguida pelos portugueses sobre recifes com cascalho de ostras, óleo de baleia, areia e pedras. A construção secular conserva canhões que miram o mar e recebe centenas de turistas diariamente. De lá se pode observar o mar aberto, a exuberância da ponte Newton Navarro sobre o rio Potengi e o manguezal repleto de caranguejos “chama maré”. Praia de Ponta Negra (Natal). A praia mais Imagem relacionadamovimentada da capital destaca-se pelo visual exuberante do Morro do Careca, uma duna gigante ladeada por mata atlântica, um dos principais cartões-postais do Estado. Concentra grande parte dos hotéis e restaurantes da cidade. À beira-mar, é possível degustar espetinhos de camarão assados na hora com uma bebida gelada, acomodado em guarda-sóis na areia. Centro de Artesanato (Natal): O prédio histórico que sediava um antigo presídio no século passado hoje reúne o melhor do artesanato potiguar. Cada cela abriga uma lojinha onde estão expostos rendas de bilro, garrafas de areia colorida e artesanatos diversos. O andar superior traz ainda uma galeria de arte contemporânea e de antiguidades. Na área externa, a antiga igrejinha virou um museu de ex-votos (objetos talhados em madeira para o pagamento de promessas de fieis católicos) com peças de todo o Nordeste. Do restaurante, a vista privilegiada mostra do alto o Forte dos Reis Magos, as praias do centro da cidade e as dunas do litoral norte. Centro Histórico (Natal): O bairro da Cidade Alta tem desde as mais antigas igrejas, como a Matriz de Nossa Senhora da Apresentação (1694), do Rosário (1714) e de Santo Antônio (1766), até prédios do séc. XIX em desenho neoclássico, com destaque para o Palácio Potengi, que hoje abriga a Pinacoteca do Estado. Parque das Dunas (Natal): É o segundo maior parque em área urbana do país –Imagem relacionada atrás apenas da Floresta da Tijuca, no Rio – com mais de mil hectares de dunas e mata atlântica. No Bosque dos Namorados, área do parque destinada à visitação, é possível fazer três diferentes trilhas, uma delas, para criança – que terminam em mirantes de frente para o mar da Via Costeira. Possui uma pista para caminhada, parques infantis, anfiteatro para eventos, um restaurante e uma lanchonete, além de museus e setores de Imagem relacionadapesquisa ambiental. Via Costeira (Natal): É uma via litorânea de 10 quilômetros que liga a praia de Ponta Negra às praias do centro da cidade. Quem trafega pela estrada aprecia, de um lado, o mar, e do outro, a mata atlântica e as dunas do Parque das Dunas. Concentra os hotéis cinco estrelas da cidade. Barreira do Inferno (Parnamirim, 12 km de Natal): O Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (CLBI) foi a primeira base aérea de foguetes da América do Sul. Hoje é comandada pela Força Aérea Brasileira e possui foguetes e aviões em exposição, mais um centro aberto à visitação. Pipa (Tibau do Sul – 77 km de Natal): O lugar que na década de 80 era apenas uma vila de hippies e pescadores de difícil acesso hoje é uma das praias mais badaladas e cosmopolitas do Brasil. Reúne cenários paradisíacos – como o Chapadão, um conjunto de falésias que formam um imenso paredão à beira-mar, e praias de água morna aonde golfinhos vão se banhar com os turistas, como as praias do Amor e da Baía dos Golfinhos – e também uma gastronomia de boa qualidade e uma vida noturna agitada em bares e boates. Gente do mundo inteiro hoje toma as ruas de Pipa, desde aqueles que se apaixonaram pelo lugar e por lá montaram um negócio até estrangeiros que inseriram o destino entre os seus preferidos. Galinhos (157 km de Natal): Localizada ao norte do Estado, é preciso pegar um barco para chegar até esta península rústica, cortada por rios que fornecem saborosos frutos do mar à culinária local, preparada por pescadores e suas famílias. O cenário bucólico tem direito a dunas e praias de água doce e salgada praticamente desertas.


Imagem relacionadaSão Miguel do Gostoso (120 km de Natal): Um detalhe peculiar chama a atenção nas praias desta pequena cidade: o sol se põe no mar, em vezResultado de imagem para são miguel do gostoso  rio grande do norte de se pôr no continente, como acontece em todo o Brasil. Esse fenômeno é possibilitado pela posição geográfica do município, bem na esquina do continente. Os ventos fortes da localidade são considerados excelentes para a prática do windsurfe, por isso o local já virou point mundial do esporte e é fácil ouvir diversas línguas nas ruas da cidade. Esse cosmopolitismo trouxe à cidade pousadas e restaurantes de boa qualidade e uma noite badalada. Na praia de Tourinhos, a dica é observar o sol ir embora de cima de uma falésia. Em suas areias, nada de vendedores ambulantes ou grande movimento de pessoas. Tranquilidade total. Praia de Barra do Cunhaú (Canguaretama – 90 km de Natal): Próxima à praia da Pipa, é bastante procurada por praticantes de kitesurf e windsurf. Na praia da Barrinha, o rio Catú e seu manguezal se encontram com o mar; a do Pontal se estende por 5 km e concentra barracas de praia, restaurantes e pousadas. Agregada às praias fica Sibaúma, vila originada de um quilombo. Praia de Maracajaú (Maxaranguape – 45 km de Natal): O grande atrativo desta praia são suas piscinas naturais – conhecidas como “parrachos” – que possibilitam um mergulho em águas cristalinas em alto mar. Lanchas levam diariamente turistas até uma catamarã instalada a alguns quilômetros da costa, onde se pode fazer snorkeling , apreciar peixes coloridos e ainda bebericar coquetéis e petiscos. Praia de Pirangi (Parnamirim 12 km de Natal): A extensa praia de águas calmas e mornas é uma das preferidas do potiguar para o veraneio, quando fica lotada, de dezembro até o carnaval. Abriga o “maior cajueiro do mundo”, uma árvore gigante com tamanho equivalente ao de 70 cajueiros e que produz cerca de 2 toneladas de cajus por safra. Os passeios de escuna que levam até mergulhos nos parrachos são outro atrativo da praia. Praia de Genipabu (Extremoz – 20 km de Natal): Quem cruza suas dunas extensas tem a impressão de estar em um verdadeiro deserto, pois a areia vai até onde a vista alcança. A melhor forma de apreciar essa paisagem é fazendo um passeio de bugue que leva até lagoas no meio do areal, onde é possível se refrescar descendo a duna de “aerobunda”, uma espécie de tirolesa da qual o turista se joga na água. Um passeio exótico pode ser feito em dromedários – sim, o mamífero nativo africano! – e vestido à caráter, como se fosse um tuareg no deserto. Acari (201 km de Natal): Fica na região do Seridó, tradicional pela comida sertaneja autêntica que produz. Os principais pontos turísticos de Acari são construções históricas (sobrados, igrejas, casas de fazenda), sítios arqueológicos e um museu sobre a vida dos sertanejos. O Açude Marechal Dutra, conhecido como Gargalheiras, é um dos mais exuberantes do Nordeste. O período de sangria do açude reúne multidões de curiosos e turistas. Caicó (256 km de Natal): Seus pontos turísticos são o Museu do Seridó, que registra a vida do sertanejo; o Castelo de Engady, construção que remete à época medieval, erguida no meio da caatinga; o Açude Itans e seus balneários; o Mercado Municipal e o Arco do Triunfo, que dá acesso à igreja matriz. Caicó sedia duas grandes festas no Estado: o carnaval de rua e a de sua padroeira, Nossa Senhora de Sant’Ana, em julho. É conhecida pela autêntica culinária sertaneja. Castelo de Zé dos Montes (Sítio Novo, 99 km de Natal): Construído e arquitetado em 1984 por um visionário – o tal Zé do Montes – que diz ter recebido a “missão divina” de construir o castelo entre as pedras da Serra da Tapuia, o lugar chama a atenção por diversos aspectos. Primeiro pela surpresa de, no meio do mato, deparar-se com um castelo erguido no meio do nada. Depois, o visitante é surpreendido pelos seus corredores estreitos e bifurcados (que também lhe dão o nome de “Castelo do Labirinto”) e por seus mirantes que dão vistas para um verde vale. No interior, todos os caminhos convergem para o centro do castelo, onde há uma capela em homenagem a Nossa Senhora. Carnaúba dos Dantas (219 km de Natal): A cidade tem duas grandes atrações: o Castelo Di Bivar, inspirado na arquitetura europeia medieval e que serviu de cenário para o filme "O Homem que Desafiou o Diabo", baseado na obra do potiguar Nei Leandro de Castro. Fica no alto de uma serra, cercado por sítiosResultado de imagem para são miguel do gostoso  rio grande do norte arqueológicos com pinturas rupestres. A outra é o Monte do Galo, em cujas escadarias estão dispostas as estações da Via Sacra, onde é apresentada anualmente a Paixão de Cristo. Do alto avista-se o verde da região. Alto de Santa Rita de Cássia (Santa Cruz, 111 km de Natal): O município de Santa Cruz possui hoje a maior imagem católica do mundo, medindo 56 m de altura, maior até do que o Cristo Redentor. A estátua de Santa Rita de Cássia, padroeira do município, foi erguida em 2007 e hoje recebe o turismo religioso. Seu entorno conta com capela, lojinhas, auditório, restaurante, lanchonete, banheiros e estacionamento. Do alto, tem-se uma vista de 360 graus dos verdes vales da região. Lajedo de Soledade (Apodi , 420 km de Natal): Em 1991, quando as pedras da localidade eram implodidas para a produção de cal, descobriu-se por acaso este importante sítio arqueológico potiguar. Suas pinturas rupestres foram feitas por índios que habitaram a região há milhões de anos. A composição de pedras do Lajedo lembra um cenário lunar. Martins (363 km de Natal): Recebe a alcunha de “Princesa Serrana”, devido ao clima ameno que chega à média de 15 graus no inverno, quando sedia um famoso festival gastronômico. Os turistas podem visitar mirantes como a Casa da Pedra – segunda maior caverna em calcário do mundo – o da Igreja Matriz, Imagem relacionadaPedra Rajada e da Pedra do Sapo. O turismo de aventura é forte nesta região serrana. Mossoró (285 km de Natal): A segunda maior cidade do Estado é lembrada por ter resistido aos ataques do bando do cangaceiro Lampião, cujas marcas de bala são até hoje preservadas na Capela de São Vicente. A Estação das Artes, os mercados Municipais e do Bode são outras atrações. Pela realização do Mossoró Cidade Junina, o município abriga uma das maiores festas popular do Nordeste, composto por um mês inteiro de eventos, dentre os quais se destaca o espetáculo "Chuva de bala no país de Mossoró". Serra de São Bento (131 km de Natal): Suas serras sediam um festival de inverno, em julho, com direito a estadia confortável em uma pousada de charme construída sobre uma rocha. Com o vizinho Monte das Gameleiras, a cidade tem sido bastante procurada pelo turismo de aventura ou de apreciação rural. 

http://www.rn.gov.br/Conteudo.asp?TRAN=ITEM&TARG=12096&ACT=&PAGE=0&PARM=&LBL=Conhe%E7a+o+RN#sthash.gpEPd0Aa.dpuf

 


bobo-de-camaraoCulinária: Influenciada por portugueses e índios, é bastante variada, mas alguns pratos têm maior destaque. O mais conhecido deles é a carne de sol com macaxeira, feijão verde, pirão de queijo e arroz de leite. Na língua tupi, potiguar significa “comedor de camarão”, fazendo jus à abundância de receitas preparadas com o crustáceo no Rio Grande do Norte. Entre os petiscos, os preferidos dos potiguares são a paçoca de pilão (carne de sol moída manualmente no pilão de madeira, com farinha e cebola roxa), o caranguejo cozido no leite de coco e a ginga com tapioca (um peixe menor do que uma manjubinha, servido dentro de uma tapioca). Os doces de frutas tropicais (coco, mamão, jaca, caju, goiaba) fazem sucesso, ainda mais se acompanhados de uma fatia de queijo de coalho ou de manteiga.  O que você procura? Por ser um estado líder na produção de camarão, o Rio Grande do Norte a maioria de seus pratos mais famosos tem o crustáceo como ingrediente principal, como é o caso do bobó de camarão. Em relação os produtos da terra, a carne-de-sol, o queijo coalho e os sequilhos são os mais presentes na gastronomia potiguar. Bobó de camarão: Esse prato tem uma consistência cremosa, sua base é de purê de aipim, camarões secos, gengibre e azeite de dendê. Misturado a essa massa vão camarões refogados em leite de coco e temperos verdes. Apesar de ser consumido em muitos estados do nordeste, pode ser considerado um prato típico importante do Rio Grande do Norte. carne-de-sol: É uma base da alimentação do Nordeste, insubstituível e indispensável. É um método de conservar peças de carne, salgando e secando em local coberto e bem ventilado. A mesma recebe os nomes de carne do Ceará, carne do sertão, carne seca e carne de vento, dependendo do estado nordestino e da região. Cocada: Um doce de coco feito com açúcar branco ou escuro, consistente. A massa é cortada em forma de quadrinhos ou discos. A cocada é uma das gulodices mais antigas e difundidas no Brasil. Cuscuz: O cuscuz é feito da massa de milho pilada, temperada com sal, cozida ao vapor d’água e depois um e decida Queijo de manteigacomResultado de imagem para receitas da culinaria do rio grande do norte leite de coco ou com manteiga. Atualmente é consumido em todo o Brasil e possui variações como o cuscuz de mandioca, arroz ou inhame. Queijo de manteiga: É uma tradição das famílias nas pequenas fazendas da região do Rio Grande do Norte e por todo o Nordeste. Os pedaços são cortados em forma de um retângulo, seu corpo é amarelado e oleoso, com uma textura macia, e tem um gosto ligeiramente salgado. RECEITAS: 02 - De Carne De Sol Com Queijo CoalhoIngredientes: 01 bife de carne de sol (500g) - Sal e pimenta do reino a gosto - 02 colheres (sopa) de manteiga - 01 cebola grande fatiada - 200g de queijo coalho fatiado - Pão e vinagrete para acompanhar, Modo de preparo: Em uma tigela, deixe a carne de molho em água na geladeira por 6 horas, trocando a água por 3 vezes. Coloque a carne em uma panela de pressão, cubra com água e cozinhe por 15 minutos, após começar a chiar. Retire a pressão e abra a panela. Escorra a carne e tempere com sal e pimenta. Derreta metade da manteiga em uma chapa de ferro e frite o bife dos dois lados. Reserve: Em uma frigideira, refogue a cebola no restante da manteiga. Coloque o bife na chapa, cubra com a cebola, o queijo e leve ao forno alto, pré aquecido, por 7 minutos ou até o queijo derreter. Sirva em seguida acompanhado de pão e vinagrete. 01 - Queijo de manteiga: Ingredientes: 1 litro de leite cru - 1 caixa (pequena) de Resultado de imagem para receitas da culinaria do rio grande do norteamido de milho - 150 g de queijo coalho - 100 g de queijo parmesão ralado - 205 g de manteiga. Modo de preparo: Bata no liquidificador o leite, o queijo coalho picado e o queijo parmesão ralado. Coloque numa panela e despeje a manteiga, o amido de milho e misture bem. Leve ao fogo mexendo sempre até ferver e começar a soltar do fundo da panela. Coloque em uma tigela, deixe esfriar, desenforme num prato e sirva em fatias. será o dia dos turistas: muita opção e fartura nos pratos até o fim da noite. Restaurantes especializados em frutos do mar é o carro chefe. Diversos tipos de peixes, camarão, caranguejo, siri e lagosta são algumas das atrações. E oImagem relacionada preço é outro item convidativo. Uma pessoa gasta, em média, R$ 35 em uma refeição nos mais badalados e deliciosos restaurantes de Natal. Ainda há o destaque para os tradicionais pratos da culinária nordestina, como carne de sol, carne-seca, baião de dois, escondidinho, buchada e outros. Na terra do maior cajueiro do mundo, também é fácil encontrar casas que vendem o caju ou a castanha-de-cajú em sacos que pesam a partir de 500 gramas a preços muito razoáveis. A Praia da Pipa também é famosa pela qualidade culinária. Os restaurantes locais, que durante o mês de outubro competem entre si em um festival prestigiado por criações sofisticadas, oferecem opções que vão desde um simples camarão ao alho e óleo a elaborados pratos no melhor estilo da culinária francesa. A praia atraiu chefs dos mais diferentes cantos do mundo e tira proveito disso. Onde se comer bem em Natal e Pipa: Imagem relacionadaCamarões Potiguar: Rua Pedro Fonseca Filho, 8887 - Ponta Negra - Natal.  - (84) 3209-2425 Tábua de carne restaurante: Rua engenheiro, Roberto Freire, 3241 - Ponta Negra - Natal - (84) 3642-1236. Av. Senador Dinarte Mariz, 229 - Via Costeira - (84) 3202-5838 - Sal e Brasa: Av. Roberto Freire, 1426, Capim Macho, Natal  (84) 3217-5919 - Mangai: Av. Amintas Barros, nº 3300 Lagoa Nova  (84) 3206-3344 - Tapiocaria e Cuscuzeria: R. Dr. Manoel Augusto Bezerra de Araújo - Ponta Negra  (84) 3219-5798 - Restaurante Lampião: Rua Baia dos Golfinhos, 223, Praia da Pipa, Tibau do Sul  (84) 3246-2343


Resultado de imagem para Principais danças rio grande do nortePrincipais autos Boi de Reis: É o tradicional Bumba Boi. Joaquim Augusto da Silva, conhecido como Joaquim Basileu, é o Mestre, Amo do Boi de Reis de Natal. Natural de Monte Alegre, descendente de uma família que sempre brincou "Os Reis". Aos quatorze anos era galante e aos vinte, "Mestre de Reis". A primeira apresentação do ano é realizada diante de uma igreja para que todos os brincantes sejam abençoados por Deus. A seguir, apresentam-se em palanques ou residências, quando são chamados. Boi de Reis de Ponta Negra, Boi Calemba Pertence ao ciclo natalino.Imagem relacionada Folguedo de praia e sertão, com auditórios certos, entusiásticos e fiéis. Não há modelo fixo para o Auto. Fandango A grande influência Portuguesa pode ser sentida nos passos das danças e expressões contidas nas Jornadas. O enredo desse evento grita em torno de um navio perdido no mar por 7 anos e um dia, correndo a tripulação perigo de incêndio, calmaria e tempestade. Congos Auto de inspiração africana, conta uma luta entre dois soberanos negros: a rainha Ginga e o rei Henrique Cariongo. Lapinha e Pastoril A lapinha ou presépio, dança religiosa, existe no Brasil desde o início da colonização. O elenco é formado por mocinhas que entoam jornadas das mais diversas procedências, em louvor ao Messias. O pastoril, seu primo profano, veio muito depois, no século passado. Cantos, louvações, lôas, entoadas diante do presépio na noite de Natal, aguardando-se a Missa do Galo. O repertório é um misto de cantos religiosos e profanos. Esse Auto simboliza o nascimento de Jesus. Os autos citados eram representados outrora durante as festas do fim do ano e começo do Ano-Novo. Caboclinhos Representados durante os dias de carnaval, com osImagem relacionadaintegrantes fantasiados de índios estilizados e que já teve outrora seu núcleo dramático, com a morte e ressurreição do filho do cacique. Principais danças Araruna: O Araruna, Sociedade de Danças Antigas e Resultado de imagem para Principais danças rio grande do norteSemide saparecidas, existe em Natal, desde 1956, e representa um repertório coreográfico de danças folclóricas ou folclorizadas. Coco, Bambelô, Maneiro-Pau São danças de roda em que não há qualquer enredo dramatizado, das quais o publico pode participar, já que não é exigida uma indumentária padronizada, ao contrário dos autos. O coco-de-roda e o coco de zambê, o bambelô, ainda hoje existe em algumas praias. O maneiro-pau é característico da região serrana do alto oeste do Rio Grande do Norte. Bandeirinhas e Capelinha-de-Melão Danças características do ciclo junino. As pastoras cantam jornadas em louvor a São João Batista. Espontão Dança característica da festa dos negros, na região do Seridó, durante a coroação de reis e rainhas, na Festa de Nossa Senhora do Rosário, em Caicó, Parelhas e Jardim do Seridó. É privativa dos homens e se assemelha a um bailado guerreiro. Bambelô Samba, côco de roda, danças em círculo cantadas e acompanhadas de instrumentos de percussão (batuque), fazendo os bailarinos, no máximo de 02, figurarem no centro da roda. Artesanato: Garrafas de areia colorida e peças de bordados e rendas de bilro são os principais produtos do artesanato potiguar. Trançados em sisal e outras fibras vegetais, esculturas de madeira, couro e barro também são bastante produzidos pelos artesãos. Em Caicó, a produção de bordados e rendas surpreende pela originalidade e qualidade das peças. São Gonçalo do Amarante é o município que concentra a maior produção ceramista do Estado, como vasos. Faz sucesso as cestarias e os trançados de taboa – um tipo de palha encontrada em São Miguel do Gostoso.

 


Resultado de imagem para praias  rio grande do norteMelhores - praias-rio-grande-norte: Uma das qualidades interessantes do Rio Grande do Norte é que apesar do turismo intenso, ainda é possível Imagem relacionadaencontrar praias preservadas, pouco movimentadas e perfeitas para quem busca sossego. Selecionamos aqui algumas das melhores e mais bonitas praias do estado e sabemos que a lista poderia ser muito maior. Baía dos Golfinhos, Pipa: Em poucos lugares no Brasil é possível admirar um cenário tão peculiar e por isso essa praia é, merecidamente, uma das melhores do Rio Grande do Norte. Na Baía dos Golfinhos, acessível apenas na maré baixa, grandes falésias com árvores cercam a areia, enquanto no mar os golfinhos brincam de fazer piruetas. Se em muitos destinos é preciso pagar para ver esses bichinhos tão simpáticos, na Baía dos Golfinhos eles brincam livres e sem qualquer custo. Imperdível! Praia do Madeiro, Pipa: Nem só de moleza vivem os turistas e a Praia do Madeiro se encaixa bem na situação. Essa praia é considerada uma das mais bonitas do Brasil e está rodeada por um enorme paredão de falésias, coberto por árvores verdes. A beleza do local é incontestável. Por lá impera a natureza, o ar puro, o som das ondas e pássaros. Seu acesso é feito por escadas com muitos degraus, o que não é um grande problema na descida, mas na subida é preciso fôlego. Mas não se acanhe com isso, a praia é espetacular e vale o esforço. Ponta Negra, Natal: Ponta Negra, a praia mais movimentada de Natal, destaca-se pela excelente estrutura e pelo visual. As águas mornas já são suficientes para fazer a alegria de muita gente, mas o visual para o Morro do Careca, ponto turístico famoso de Natal, é como uma cereja do bolo. Praias e dunas são grandes símbolos do estado e a Ponta Negra representa Resultado de imagem para praias  rio grande do nortecom maestria as belezas portiguares. Península de Galinhos: Galinhos é uma península do norte do estado e vem fazendo sucesso no turismoImagem relacionada regional. É um local ainda pouco explorado e rústico, ideal para quem quer fugir do ritmo conturbado da cidade grande. Quem vai para Galinhos deve estar afim de curtir um cenário bucólico, com direito a dunas, nascer do sol sobre a água e  praias de água doce e água salgada praticamente desertasPraia de Tourinhos: No município de São Miguel do Gostoso, a praia que chama atenção é Tourinhos. Com águas calmas e um belo pôr do sol, o lugar é ideal para quem busca sossego e descanso. Em suas areias, nada de vendedores ambulantes oferecendo produtos ou grande movimento de pessoas, apenas pedras antigas em formatos curiosos para encantar aos olhos e muita tranquilidade. Barra do Cunhaú:  é um lugar pacato, próximo da Praia da Pipa. O local não tem tanta estrutura quanto a vizinha Pipa, mas é indicado para passar um dia e aproveitar suas águas claras. É uma praia de água doce e salgada, piscinas naturais, procurada por praticantes de kitesurf e windsurf. A Praia de Maracajaú:  talvez não seja tão visitada por sua beleza, mas se afastando um pouco da areia é possível entender porque esse nome é tão comentado. As piscinas naturais de Maracajaú, também conhecidas como “parrachos” são ótimas para um mergulho. O lugar tem vários peixinhos, águas gostosas e principalmente, cristalinas. Quem gosta da fauna marinha não pode perder. ESTIMA-SE QUE 500 MIL PESSOAS no Brasil sejam Resultado de imagem para rio grande do norte mossoróadeptas do naturismo. Destas, cerca de 1.200 estão inscritas na federação. O naturismo cultua o cuidado com o corpo, além da prática do nudismo. Conta-se que esta filosofia de vida foi trazida ao Brasil por Dora Vivacqua, nome verdadeiro da atriz conhecida como Luz Del Fuego. Ela praticava o naturismo na região da Baía de Guanabara, no Rio deImagem relacionada Janeiro, nas décadas de 40 e 50. Ficou conhecida, na época, por dançar com cobras enroladas ao corpo. Porto Alegre entra na lista: Em reuniões realizadas pela FBrN no fim do ano passado, ficou decidido que Porto Alegre também ganhará em breve uma praia naturista. “As pessoas opinaram que, sim, a cidade deve ter uma praia de nudismo. Foi agendada uma reunião em março para discutirmos qual é o local mais apropriado para só então organizarmos o grupo de trabalho”, disse Pacheco, que participou das reuniões AS PRINCIPAIS PRAIAS DE NUDISMO NO BRASIL E SUAS REGRAS: Ao todo, o Brasil possui oito praias naturistas. Todas elas seguem as normas de conduta e ética redigidas pela federação em 1996, e são monitoradas por grupos naturistas. Entre as regras, é considerada falta grave “ter comportamento sexualmente ostensivo e/ou praticar atos de caráter sexual ou obscenos nas áreas públicas”. Além disso, o grupo naturista repudia danos à flora e à fauna e o excesso de ingestão de bebidas alcoólicas, e prega que necessidades fisiológicas devem ser feitas em áreas próprias para isso, nunca no mar ou na areia. Por uma questão de higiene: e saúde, é recomendada aos banhistas que tenham sempre uma canga ou toalha para se sentar. AS PRAIAS SÃO: Bahia: Massarandupió - Espírito Santo Barra Seca - Paraíba: Tambaba - Rio de Janeiro:  Abricó /Olho de Boi - Santa Catarina: Galheta/ Pinho/Pedras Altas.