logo

Pesquisar

Lazer Rio Grande do Norte

Com mais de 400 km de litoral, é natural que os destinos mais procurados no RN sejam as praias potiguares. Mas há muito a ser explorado fora Resultado de imagem para praias  rio grande do nortedos roteiros dos famosos passeios de burguês nas dunas. O turismo no interior do Rio Grande do Norte destaca-se principalmente pelas festas de carnaval (Caicó, Macau e Guamaré), São João (Mossoró) e de datas religiosas (Festa de Santana em Caicó e Currais Novos; de Santa Luzia em Mossoró; de Nossa Senhora da Guia, em Acari; e de São Sebastião em Parelhas e Caraúbas). No entanto, tem crescido bastante a procura pelos festivais gastronômicos (Martins e Pipa) e literários (Pipa). Para quem gostam de frio, as temperaturas das regiões serranas de Monte das Gameleiras, Martins e Serra de São Bento chegam a 15 graus e são um convite para se apreciar uma conversa em torno de uma fogueira. O turismo é responsável por uma das principais receitas do Estado do RN. Gera mais de 100 mil empregos e possuem outras 54 atividades atreladas a si direta ou indiretamente. Leitos: 40 mil (sendo 28 mil em Natal - IBGE) - proporcionalmente, é um dos maiores números de leitos do Brasil. Número de hotéis: mais de 250 (Ministério do Turismo). RN - 2.618.348 (2.449.726 brasileiros e 168.622 estrangeiros – Secretaria Estadual de Turismo, em 2012). Natal - 1.701.099 (1.590.187 brasileiros e 110.912 estrangeiros – Secretaria Estadual de Turismo, em 2012). Alta estação: Novembro a março (em 2012, janeiro foi o mês mais procurado por turistas, seguido por dezembro) Principais Pontos Turísticos: Forte dos Reis Magos (Natal): Em forma de estrela, foi à primeira construção da capital — fundada em 25 de Dezembro de 1599 — daí o nome Natal. Foi erguida pelos portugueses sobre recifes com cascalho de ostras, óleo de baleia, areia e pedras. A construção secular conserva canhões que miram o mar e recebe centenas de turistas diariamente. De lá se pode observar o mar aberto, a exuberância da ponte Newton Navarro sobre o rio Potengi e o manguezal repleto de caranguejos “chama maré”. Praia de Ponta Negra (Natal). Imagem relacionadaA praia mais Imagem relacionadamovimentada da capital destaca-se pelo visual exuberante do Morro do Careca, uma duna gigante ladeada por mata atlântica, um dos principais cartões-postais do Estado. Concentra grande parte dos hotéis e restaurantes da cidade. À beira-mar, é possível degustar espetinhos de camarão assados na hora com uma bebida gelada, acomodado em guarda-sóis na areia. Centro de Artesanato (Natal): O prédio histórico que sediava um antigo presídio no século passado hoje reúne o melhor do artesanato potiguar. Cada cela abriga uma lojinha onde estão expostos rendas de bilro, garrafas de areia colorida e artesanatos diversos. O andar superior traz ainda uma galeria de arte contemporânea e de antiguidades. Na área externa, a antiga igrejinha virou um museu de ex-votos (objetos talhados em madeira para o pagamento de promessas de fieis católicos) com peças de todo o Nordeste. Do restaurante, a vista privilegiada mostra do alto o Forte dos Reis Magos, as praias do centro da cidade e as dunas do litoral norte. Centro Histórico (Natal): O bairro da Cidade Alta tem desde as mais antigas igrejas, como a Matriz de Nossa Senhora da Apresentação (1694), do Rosário (1714) e de Santo Antônio (1766), até prédios do séc. XIX em desenho neoclássico, com destaque para o Palácio Potengi, que hoje abriga a Pinacoteca do Estado. Parque das Dunas (Natal): É o segundo maior parque em área urbana do país –Imagem relacionada atrás apenas da Floresta da Tijuca, no Rio – com mais de mil hectares de dunas e mata atlântica. No Bosque dos Namorados, área do parque destinada à visitação, é possível fazer três diferentes trilhas, uma delas, para criança – que terminam em mirantes de frente para o mar da Via Costeira. Imagem relacionadaPossui uma pista para caminhada, parques infantis, anfiteatro para eventos, um restaurante e uma lanchonete, além de museus e setores de Imagem relacionadapesquisa ambiental. Via Costeira (Natal): É uma via litorânea de 10 quilômetros que liga a praia de Ponta Negra às praias do centro da cidade. Quem trafega pela estrada aprecia, de um lado, o mar, e do outro, a mata atlântica e as dunas do Parque das Dunas. Concentra os hotéis cinco estrelas da cidade. Barreira do Inferno (Parnamirim, 12 km de Natal): O Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (CLBI) foi a primeira base aérea de foguetes da América do Sul. Hoje é comandada pela Força Aérea Brasileira e possui foguetes e aviões em exposição, mais um centro aberto à visitação. Pipa (Tibau do Sul – 77 km de Natal): O lugar que na década de 80 era apenas uma vila de hippies e pescadores de difícil acesso hoje é uma das praias mais badaladas e cosmopolitas do Brasil. Reúne cenários paradisíacos – como o Chapadão, um conjunto de falésias que formam um imenso paredão à beira-mar, e praias de água morna aonde golfinhos vão se banhar com os turistas, como as praias do Amor e da Baía dos Golfinhos – e também uma gastronomia de boa qualidade e uma vida noturna agitada em bares e boates. Gente do mundo inteiro hoje toma as ruas de Pipa, desde aqueles que se apaixonaram pelo lugar e por lá montaram um negócio até estrangeiros que inseriram o destino entre os seus preferidos. Galinhos (157 km de Natal): Localizada ao norte do Estado, é preciso pegar um barco para chegar até esta península rústica, cortada por rios que fornecem saborosos frutos do mar à culinária local, preparada por pescadores e suas famílias. O cenário bucólico tem direito a dunas e praias de água doce e salgada praticamente desertas.