logo

Pesquisar

Lazer no Piauí

PESCA: No Brasil estão os rios mais piscosos do mundo e a maior diversidade de peixes. A Amazônia, o Pantanal, os rios Araguaia, São Francisco, e Paraná são alguns dos roteiros de pesca consolidados como excepcionais. Sem falar que existem ainda mais de 8 mil quilômetros de costa, uma enorme rede hidrográfica, rios caudalosos cercados por florestas tropicais, corredeiras lagos, praias, manguezais, costões e inúmeras opções em alto mar (a pesca oceânica se concentra nos Estados da Bahia e Espírito Santo). AVENTURA: Um, dois e três! Coração na mão e vamos embora. O Brasil é um imenso e maravilhoso cenário repleto de oportunidades para esportes e atividades de aventuras. O país conjuga extensão territorial e litorânea com geografia rica, diversificada e clima tropical. Mais do que apenas contemplar a beleza exuberante, o visitante pode e deve explorar através dos cinco sentidos toda a emoção que vai encontrar aqui. Seja por terra, por mar e pelo ar. RECIFE: A capital do estado de Pernambuco teve como origem o porto formado pela barreira de recifes que acompanha o seu litoral. No início da colonização do Brasil, ainda no século XVI, a vizinha Olinda figurava como o principal núcleo urbano da Capitania de Pernambuco. Imagem relacionadaNo entanto, essa facilidade natural para abrigar embarcações, foi aos poucos atraindo a população e o comércio para o local em que Recife viria a crescer. TOCANTINS: Um destino eco turístico com ótimas perspectivas no mercado mundial devido às suas qualificações naturais, o Tocantins desponta como "Paraíso da Biodiversidade," por sua localização privilegiada na zona de transição dos grandes ecossistemas brasileiros: a floresta amazônica, o cerrado, o semi-árido e o pantanal. O ecoturismo, sua maior vocação, encaixa-se no ramo da economia possuidor de maior expressividade no momento. Região Nordeste Formada pelos Estados do Maranhão, Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Alagoas, Sergipe e Bahia, o que fala mais forte na região Nordeste são as praias. FLORA: No Delta do Parnaíba, seguindo-se além dos mangues, a carnaubeira é a titular da paisagem. Alta, imponente a Copernecia cerífera, em se querendo tudo dá, o tronco é usado em construções de casas e móveis, palmito seria à alimentação, a folhagem se transforma em esteiras, fetos e paredes de habitação simples e a cera, que outrora se pensava ser útil apenas nas candeeiros, ganhou o mundo como matéria-prima dos mais diversos artefatos da civilização, incluindo aí saudosos discos de 45 RPM. FAUNA: A fauna do Delta do Rio Parnaíba é abundante e diversificada, seus mangues cumprem um papel muito importante para o equilíbrio ecológico da região, pois abriga milhões de espécies. Constituindo-se assim uma extensa região de alimentação e abrigo para espécies em extinção como o guará vermelho e o peixe boi. PEIXE BOI: O peixe boi é o único e o maior mamífero marinho herbívoro em extinção. Ele gosta de nadar em águas Imagem relacionadaclaras, rasas e claras, alimentando-se principalmente de capim, algas e folhas de manguezais. Quando adulto chega a pesar 800kg e 4 metros, encontra-se no Brasil de Alagoas à Maceió e no Piauí em todo o litoral. Estima-se que no Brasil exista em todo litoral aproximadamente cerca de 400 peixes bois. Extrativismo Vegetal Carnaúba - ExploradaResultado de imagem para o que fazer no piaui em quase toda a região, encontra-se nas áreas mais úmidas. De suas folhas é extraída a cera de carnaúba, utilizada na indústria de sabonetes e outros produtos. Das sementes obtém-se um óleo empregado na fabricação de vernizes, tintas e esmaltes. Babaçu - É uma palmeira encontrada em grande quantidade no Maranhão e no Piauí. Desta árvore tudo é aproveitado. A coco fornece óleo, o tronco é usado nas construções, e o palmito na alimentação. Outros vegetais - Além destes são explorados na região castanha de caju e outras plantas oleaginosas. O coroa e a piaçava são utilizados na fabricação de bolsas, cestas e vassouras. EXTRATIVISMO ANIMAL: As duas formas de extrativismo animal são as caças e a pesca. A pesca profissionalno Brasil é proibida por lei, existindo a caça ilegal, cujo produto é contrabandeado para o exterior, em geral, o couro de jacarés e peles de animais silvestres. A pesca se desenvolve ao longo do extenso litoral. No Delta do Parnaíba, que não é pescador vive de catar caranguejo. E, se essa atividade não requer tanta força quanto remar mar a dentro para pescar, por outro lado exige destreza e uma enorme dose de disposição. Afinal, passar boa parte do dia atolado na lama mal cheirosa ou equilibrando-se sobre as raízes aéreas dos manguezais, rodeado por nuvens de pernilongos e mosquitos, não é nada fácil. INTERFERÊNCIA DO O HOMEM interfere no ecossistema do Delta explorando dele o máximo possível, destruindo as florestas e promovendo queimadas e desmatamento para fazer plantações de arroz, milho, feijão e outras culturas e utilização de pastos para a criação de gado. Essas erosivas culturas de arroz levam o assoreamento dos rios, destruindo as margens do Delta. Com isso tudo há grandes desvantagens para um ecossistema, pois implica problemas com os seres vivos que habitam a região. Segundo a escritora Aldenora Mendes Moreira, formada em história e uma amante e conhecedora do Delta, ele é uma riqueza. O mangue-vegetação típica da região caracterizada por arbustos ou pequenas árvores, pertencentes a diversas famílias que apresentam altas raízes além de servir para de proteção das ribanceiras, também abriga ostras, caranguejos, siris e peixes, mas o homem não respeita isso e agride a natureza de diversas formas.