logo

Pesquisar

Lazer no Bélem do Pará

Imagem relacionadaPRAIAS E LAZER PARA TODOS OS GOSTOS: O Verão Paraense É Rico Em Belezas Naturais. Seja Para Descanso, Diversão Ou Lazer, Os Turistas Que Visitam O Pará Podem Se Deliciar Com As Lindas Praias Existentes Nos Seis Pólos Turísticos Do Estado. NO PÓLO AMAZÔNIA ATLÂNTICA PREDOMINA as praias oceânicas. Muitas estão em Salinópolis, de longa extensão e infra-estrutura turística completa, combinado praias e conforto urbano. Carinhosamente chamada de Salinas pelos paraenses, a cidade é uma estância hidromineral, onde se pode beber água da Fonte do Caranã, no centro da cidade. As principais praias são Atalaia, Corvina, Farol Velho e Maçarico, a mais antiga e que recentemente teve sua orla revitalizada pela Companhia Paraense de Turismo (Paratur), que resultam em mais de 20 km de água salgada e dunas de areia fina. Quem quiser fugir da água salgada pode ir ao Lago da Coca-Cola, de água doce. PRAIA DA ATALAIA EM SALINAS: Para unir sol e sal a uma ecologia diferente, as praias de Bragança são ideais. A “PÉROLA DO CAETÉ”, por ter sido erguida as margens do rio de mesmo nome, possui uma paisagem exuberante e praias de águas claras e areia fina.  Distante 36 quilômetros de Bragança, a Vila de Ajuruteua é um espetáculo a mais. A vegetação de mangue é povoada por garças e guarás que encontram na ilha de Canelas um local seguro para a preservação da espécie. Os caranguejos, em especial as fêmeas, protagonizam uma cena inusitada ao atravessar a estrada na época da procriação, em busca de um lugar seguro para suas crias. E na praia de Campo do Meio, centenas de pessoas buscam diversão durante as férias. O local possui infra-estrutura de pousadas, bares, restaurantes e lanchonetes.  Se o intuito do turista éResultado de imagem para artesanato no para uma experiência mais Imagem relacionadarústica, a alternativa são as praias da ilha de Algodoal. O lugar é marcado pela tranqüilidade e cenários maravilhosos. Uma de suas praias, a da Princesa, tem quase 14 quilômetros de extensão. Artesanato do Pará: Da cerâmica marajoara e tapajônicas, aos brinquedos e pipas de miriti. No artesanato paraense são utilizados todos os tipos de materiais retirado da própria região, como o barro, sementes, pedras preciosas, palhas, enfim até a escama de pirarucu são aproveitadas. O artesanato que mais simboliza a cidade de Belém são as cerâmicas marajoaras e tapajônicas, que são encontradas e fabricadas em olarias no bairro de Icoaraci. A palha também é muito utilizada, na qual são tecidos cestos, peneiras, esteiras, e o tipita (material utilizado para extrair o tucupi). As sementes das frutas da região estão sendo aproveitadas na confecção de bolsas, artesanato, bijuterias, etc. Com as pedras preciosas, são confeccionados diversos materiais, mas principalmente jóias, que são facilmente encontradas no pólo joalheiro do São José Liberto. As cuias que são utilizadas para tomar o tacacá, também são trabalhadas com pinturas tipicamente paraenses e servem como adorno para decoração. Miriti ou Buriti. Uma palmeira brasileira que é doce é vinho e é brinquedo: os brinquedos de miriti. nascidos da espetacular capacidade de adaptação do caboclo brasileiro à natureza que o circunda, os brinquedos de miriti são a expressão da sensibilidade e da representação ingênua do universo ribeirinho da região de Abaetetuba, uma cidade vizinha de Belém, distante hora e meia de carro e balsa, ou duas horas de barco, o transporte mais usado, talvez até pela calma e placidez que a floresta e os igarapés sugerem. Os brinquedos são feitos uma única vez por ano, no período de agosto e setembro, sendo somente comercializados Resultado de imagem para belem do paradurante as festividades do Círio, muito vendidos em épocas dos festejos, com o miriti, também utiliza-se a tala retirada dele para confecção de pipas. PRAIA DA PRINCESA EM ALGODOAL: Algumas praias do pólo Belém localizam-se nas ilhas de Mosqueiro e Cotijuba. O balneário de Mosqueiro possui algumas das poucas praias de rio com ondas existentes no mundo. Algumas delas são Chapéus Virados, Murubira, Farol, Baía do Sol, Marahu, Paraíso, Porto Artur, Ariramba, São Francisco e Carananduba. Mosqueiro é rica em pequenos rios e igarapés cujo destino é ilhotas irresistíveis para os praticantes de Ecoturismo. Outro lugar é a Ilha de Cotijuba. Um lugar rústico, com uma costa de 15 km de extensão de lindas praias de água doce e uma natureza praticamente intocada. PRAIA DO MARAHU EM MOSQUEIRO: As praias da região de Barcarena também são acessíveis a partir de Belém, por via rodoviária ou fluvial. As mais conhecidas são as de Vila do Conde e Caripi. A PRAIA DE VILA DO CONDE é banhada pela baía do Marajó e formada por areia branca e alva. Arborizada, a praia dispõe ainda de barracas especializadas na venda de comidas e de bebidas. Já na do Caripi, uma atração incomum chama a atenção dos visitantes: a Casa da Árvore, parte das instalações do Hotel Sumaúma, que combina o conforto moderno ao espírito de aventura. DE SOURE e Salva terra, que ficam no arquipélago e pólo Marajó. Salva terra, a “PRINCESINHA DO MARAJÓ”, tem um encantador cenário ecológico formado por furos, campos, fazendas, rebanhos de búfalos, belas praias, florestas pouco densas, campos inundáveis, cerrados e um folclore expressivo, tanto na dança quanto na música. Quando o assunto é ecoturismo tem muito a oferecer. As fazendas de búfalos, com os passeios pelos campos marajoaras e a pesca esportivaResultado de imagem para belém pará pontos turisticos são atividades que representam grande potencial. EM SOURE se encontram praias de águas doces e salgadas, campos naturais e uma variedade infinita de fauna. A cidade possui uma arquitetura que encanta pela simplicidade, casas, jardins, ruas largas e arborizadas por mangueiras. Entre as atrações naturais, o destaque são as praias. A do Pesqueiro possui dunas que se espalham em quase toda sua extensão. A praia tem ainda inúmeros coqueiros, marca registrada do lugar. Já a praia de Araúna revela o lado selvagem de Soure. A praia fica próxima a uma área de mangue e atrai muitos turistas por causa dessa peculiaridade. Existem bons hotéis e pousadas, mas quem deseja vivenciar o cotidiano dos moradores, deve hospedar-se em fazendas. A culinária, o folclore e a dança também são atrativos ímpares desse lugar. O município de Soure, juntamente com Salva terra e Ponta de Pedras, é responsável pelo principal fluxo turístico daquela região.  Segundo a Companhia Paraense de Turismo (Paratur), Soure, conhecido como a ‘Pérola do Marajó’,  é um dos municípios que atraem milhares de turistas por sua natureza exótica,  com praias de rio , igarapés  de águas límpidas e geladas, entre os quais, Praia do  Pesqueiro,  banhada pelo oceano atlântico,  possui  dunas que se espalham em quase toda sua extensão. A Praia de Araruna, situada próxima a uma região de mangue, onde atrai milhares de turistas. Praia Resultado de imagem para belem do parada Barra Velha, de uma beleza exuberante e vegetação de manguezais de grande porte. Igarapé do Café, e a enseada do Tombo do Jutaí, um balneário e ancoradouro para pequenas embarcações de pesca. Na Vila do Pesqueiro o ponto forte é a pesca, o artesanato e a venda de medicamentos naturais como a andiroba. No Bairro Novo, o visitante podeImagem relacionada conhecer o Curtume, onde são fabricados objetos com couro do búfalo, sapatos e bolsas. A Capela de São Sebastião, que remete ao século XIX, construída em maio de 1988 está anexada ao convento das Irmãs da Divina Graça. A Casa da Cultura abriga uma importante coleção de literatura da região e o Centro de Artesanato expõem produtos feitos a partir da cerâmica marajoara – bolsas, bonecas de tururi e cestarias em talas. Para quem aprecia frutos e iguarias do Pará, indicamos ainda em Soure o Mercado Municipal, com uma arquitetura moderna, oferece ainda  uma variedade de alimentos e produtos regionais, tapioquinha  passada na manteiga e coberta com queijo do Marajó, além da típica comida marajoara. OUTRA GRANDE OPÇÃO SÃO AS PRAIAS. DENTRE AS PRAIAS FLUVIAIS TEMPORÁRIAS, as mais conhecidas são as de Alter do Chão, em Santarém, no pólo Tapajós; Tucunaré, em Marabá e Gaivota, em Conceição do Araguaia, do pólo Araguaia Tocantins, além das praias de Altamira, no pólo Xingu.  Alter do Chão é uma das praias fluviais do Oeste paraense. Fica na vila de mesmo nome, conhecida como “CARIBE AMAZÔNICO”, no município de Santarém. É um dos roteiros mais procurados por turistas. A praia de Alter do Chão surge Imagem relacionadaquando as águas do rio Tapajós baixam. UMA DAS PRIMEIRAS VISÕES DE QUEM CHEGA À REGIÃO é o encontro do rio Amazonas, com suas águas escuras, e o rio Tapajós, em seus tons de azul-esverdeado. Os dois rios nunca se misturam. Mesmo na época da maré baixa, a dica é ficar nas barraquinhas instaladas ao longo da praia, na restinga que se forma com a seca do Tapajós. EM CONCEIÇÃO DO ARAGUAIA, localizada no sudeste paraense, está a bela e freqüentadaResultado de imagem para homofobia praia da Gaivota. O lugar fica as margens do Araguaia, que é um dos mais belos rios que cortam o território paraense, de águas claras e transparentes. ENQUANTO QUE, EM MARABÁ, a praia do Tucunaré tem aproximadamente 5 quilômetros de extensão e está situada nas águas do rio Tocantins. Possui areia fina, seixo, uma pequena vegetação e muitas lendas e histórias. A praia emerge na vazante do Tocantins, logo após o período de chuvas, geralmente a partir de abril. É muito procurada na alta estação - julho e novembro - tornando-se a principal atração turística da cidade. A praia ainda proporciona ao veranista a prática de esportes náuticos e de areia, além de camping e pesca esportiva. EM ALTAMIRA, o maior município em extensão territorial do mundo, as maravilhas da natureza e do rio Xingu encantam os visitantes. Na cidade, as belas praias do Besouro, do Padeiro, do Sossego, Grande, do Olivete, e os balneários do Pedral e do Jôa são ótimas alternativas para a tranqüilidade e o descanso.