logo

Pesquisar

Meio de Locomoção no Mato Grosso

Resultado de imagem para hidrovias do mato grossoHIDROVIARIO: Desde tempos muito antigos, o homem utiliza a água como estrada. Nos dias atuais, mares, lagos e rios são Resultado de imagem para transporte mato grossoconstantemente cortados por embarcações do mais diferentes tipos, desde os imponentes navios até as humildes barcaças. Cada um desses veículos foi planejado e construído de forma a preencher certos requisitos que lhe deem o máximo de eficiência na tarefa que lhe cabe. As hidrovias são vitais para o transporte de grandes volumes de cargas a grandes distâncias, e constituem importante ferramenta para o comércio interno e externo, pois propiciam a oferta de produtos a preços competitivos.  Em termos de custo e capacidade de carga, o transporte hidroviário é cerca de oito vezes mais barato do que o rodoviário e de três vezes, do que o por ferrovia. Verifica-se, por exemplo, na União Europeia, que a energia específica despendida pelo modo hidroviário é da ordem média de 0,6 MJ/t.km (megajoules por tonelada-quilômetro), enquanto, em condições semelhantes, a ferrovia despende de 0,6 a 1,0 MJ/t.km e os caminhões pesados de 0,96 a 2,22 MJ/t.km. TRANSPORTE RODOVIARIO: O transporte rodoviário é o transporte feito por estradas, rodovias, ruas e outras vias pavimentadas ou não, com a intenção de movimentar materiais, pessoas ou animais de um determinado ponto a outro. Representa a maior parte do transporte terrestre. Mais utilizado no Brasil, responsável por 96% do movimento de passageiros e 58% do transporte de cargas. O transporte rodoviário em sua maioria é realizado por veículos automotores, como carros, autocarros e camiões. Segundo a ANTT, existem cerca de 130 mil empresas de transporte de cargas no Brasil com mais de 1,6 milhões de veículos que oferecem trabalho, diretamente, a pelo menos 5 milhões de pessoas. Segundo o Instituto de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração da Universidade Federal do Rio de Janeiro - COPPEAD, o transporte corresponde a 6% do PIB nacional. Na logística, o transporte rodoviário é uma das áreas mais importantes. Segundo a COPPEAD, os custos com transporte chegam a 60% dos custos logísticos e a redução de custos nessa área é muito importante, pois corresponde em média 20% do custo total das empresas. Cada vez mais as empresas estão de olho nessa fatia do mercado, pois o transporte no Brasil chama a atenção por faturar mais de R$ 46,2 bilhões e movimentar quase 3/5 do total de carga do país. AVIAÇÃO: O transporte aéreo é o movimento de pessoas e mercadorias pelo ar com a utilização de aviões ou helicópteros. O transporte aéreo é usado preferencialmente para movimentar passageiros ou mercadorias urgentes ou de alto valor. A partir da Segunda Guerra Mundial a aviação comercial assistiu a um grande desenvolvimento, transformando o avião em um dos principais meios de transporte de passageiros e mercadorias no contexto mundial. O transporte aéreo foi o que mais contribuiu para a redução da distância-tempo, ao percorrer rapidamente longas distâncias. Rápido, cômodo e seguro o avião suplantou outros meios de transporte de passageiros a médias a longas distâncias. Este meio de transporte implica construção de estruturas muito especiais. Os aeroportos requerem enormes espaços e complicadas instalações de saída e entrada dos voos. Por outro lado, os custos e aResultado de imagem para hidrovias do mato grosso manutenção de cada avião são bastante elevados. Tudo isto contribui para encarecer este meio de transporte. Voar sempre foi um dos grandes sonhos da humanidade. Primeiro vieram os balões, no Resultado de imagem para BAFOMETROfinal do século XVIII, que ganhavam os céus graças à utilização de gases mais leves que o ar, como hidrogênio e hélio. Em 1900, o conde alemão Ferdinand von Zeppelin ia mais além, inventou o zepelim, um enorme dirigível, feito de metal e cheio de TREM DE FERRO: O Pará e o Mato Grosso deram mais um passo nesta quarta-feira (24) para consolidar uma parceria que busca a integração logística entre as regiões Norte e Centro-Oeste, por meio de uma ferrovia que ligará os dois Estados, reduzindo os custos para o escoamento da produção das duas regiões, tanto para o mercado brasileiro quanto para o internacional. O assunto foi discutido nesta manhã pelo governador Simão Jatene e os presidentes da Assembleia Legislativa do Pará, Márcio Miranda, e do Mato Grosso, José Geraldo Riva. Além dos chefes do Legislativo, também participaram da reunião os titulares das Secretarias do Pará de Desenvolvimento Econômico e Incentivo à Produção, Sidney Rosa, e de Indústria, Comércio e Mineração, David Leal. Fizeram parte da comitiva liderada pelo deputado Riva, o secretário de Indústria, Comércio, Minas e Energia do Mato Grosso, Alan Zanatta, e os assessores parlamentares Nelson Salim Abdala e André Nóbrega, que fazem parte da equipe mato-grossense para viabilizar o projeto.O encontro, realizado no gabinete do Comando Geral do Polícia Militar, teve como objetivo traçar novos encaminhamentos para o projeto. A proposta inicial, apresentada pela comitiva mato-grossense, é que a ferrovia partisse do município de Água Boa, na região do Araguaia, em Mato Grosso, e chegasse até Barcarena, no nordeste do Pará, com o traçado paralelo às rodovias BR-158, PA-150, BR-222 e BR-010 (aproximadamente 1.600 km).