logo

Pesquisar

Distrito Federal - Brasilia


1377285973bandeira-distrito-federal

BRASILIA

 

BREVE COMENTÁRIO SOBRE A REAL HISTÓRIA DE BRASILIA: normalmente começa antes do que parece. Brasília como idéia, projeto e sonho, nasceu antes do presidente Juscelino Kubitschek tomar a decisão política de erguer a nova capital no meio do nada. Muitíssimo antes de os traços modernistas de Lúcio Costa e Oscar Niemeyer serem esboçados, a cidade foi desejada e imaginada, desde os primórdios da Independência. Ao contrário do que convencionalmente se imaginava JUSCELINO KUBITSCHEK NÃO CRIOU BRASÍLIA – a cidade que em 21 DE ABRIL DE 1960 comemorou 53 anos, cumpriu um preceito constitucional que previa a transferência da capital do país para o centro geográfico do imenso território brasileiro. A atual capital do país é a materialização de um velho projeto cuja idéia remonta a ninguém menos que. JOSÉ BONIFÁCIO DE ANDRADA E SILVA (1763- 1838), o Patriarca da Independência. Em um panfleto chamado Aditamento ao projeto de Constituição para fazê-lo aplicável ao Reino do Brasil, publicado em Lisboa, em 1822, Bonifácio propôs a construção de uma nova capital: "No centro do Brasil, entre as nascentes dos confluentes do Paraguai e Amazonas, fundar-se-á a capital desse Reino, com a denominação de Brasília". Após a efetivação da Independência, da qual fora um dos artífices, Bonifácio tornou-se presidente da primeira Assembléia Constituinte de nossa história, em 1823, na qual defendeu, entre outras idéias, a abolição do tráfico negreiro, a instrução pública, a fundação de uma universidade, uma reforma agrária e a construção "de uma nova capital do Império no interior do Brasil, em uma das vertentes do rio São Francisco, "que poderá chamar-se Petrópolis ou Brasília". A primeira atitude que instalou, realmente, no coração brasileiro a idéia de interiorização da nossa capital partiu dos inconfidentes mineiros, em 1789. A conversa saiu da Colônia, atravessou o Atlântico e chegou até Portugal, mas dando conta de que o Rio de Janeiro deveria perder seu status para São João Del Rey, em Minas Gerais, como estava na cabeça do alferes José Joaquim Xavier, o Tiradentes. Como os inconfidentes foram degolados e aniquilados, a idéia de interiorização da capital Brasileira dormiu para só acordar em março de 1813, quando o jornalista HIPÓLITO JOSÉ DA COSTA PEREIRA DE MENDONÇAnuma das 175 edições do seu Correio Braziliense, publicadas em Londres, defendeu com mais força o "transplante" do coração do Brasil para o Planalto Central, nas cabeceiras do Rio São Francisco, mais precisamente na comarca do mineiro Paracatu. Repercutiu forte, na Inglaterra e em Portugal, a sugestão de nos dar uma capital no – Paralelo/15. Depois de Tiradentes e de Hipólito Mendonça, o terceiro defensor da interiorização da capital foi José Bonifácio de Andrada e Silva, em 1821, usando sua influência política fora ministro de Estado e vice-presidente provisório de São Paulo, quando escrevera documento dirigido a parlamentares e à Corte de Lisboa. Dois anos depois, como o primeiro ministro do Brasil independente, José Bonifácio voltou a pressionar pelo tema, daquela vez junto à Assembléia Constituinte. Foi quando sugeriu o nome de Brasília, ou Petrópolis. A primeira viagem ao centro oeste para construção da Capital Federal - Brasília. A primeira viagem ao Planalto Central do País, PARA LOCALIZAR A FUTURA CAPITAL, FOI FEITA, EM 1877, pelo Visconde de Porto Seguro, o diplomata Adolfo de Varnhagen. Oficializada pelo Ministério da Agricultura, a aventura, em lombo de burro e na botina, era para indicar regiões propícias à colonização européia no Brasil. Varnhagen sugeria o nome de Imperatória, para a nova capital, que seria a sede do Império. Dom João Bosco: Como Tiradentes, Hipólito, Bonifácio e Vernhagen sonhavam, em setembro de 1883, na Itália em Turim, o "espírito" do salesiano Dom João Bosco viu o " surgimento de uma nova civilização, entre os paralelos 15/20 partindo do ponto onde se formava um lago. Antes, porém, em 1852, o parlamentar pernambucano Holanda Cavalcanti apresentara projeto ao Senado, dando continuidade ao que José Bonifácio semeara, em 1823. 

No result...