logo

Pesquisar

Turismo no ACRE

Caminhos das Aldeias: O Roteiro explora a riqueza do Vale do Juruá, com suas diversas etnias indígenas e seu inexplorável "TesouroResultado de imagem para artesanato no acre rio branco Verde". É neste maravilhoso cenário que conheceremos a cidade de Cruzeiro do Sul e o parque Nacional da Serra do Divisor. O Parque Nacional da Serra do Divisor é considerado por diversos pesquisadores como a região de maior biodiversidade do planeta, desbravando-os através de caminhadas ecológicas. Geoglifos: Na parte oriental do Estado do Acre, principalmente na região de Rio Branco e ao longo do divisor de águas onde se encontra a rodovia BR 317, têm sido encontradas estrutura de terra de formatos geométricos - círculos, retângulos, hexágonos, octágonos e outros - de dimensões, feitas por populações que lá viveram há cerca de 1.000 anos. Caminhos da Revolução: Entre final do século XIX e início do século XX, o Brasil passou por um importante momento histórico: a Revolução Acreana. O combate entre os seringueiros brasileiros, que exploravam terras bolivianas, e forças da Bolívia, que cobravam impostos sobre esse uso, teve como consequência a criação do território do Acre, que, posteriormente, se tornou um estado brasileiro. Neste roteiro turístico, é possível conhecer a região que serviu de palco para essa revolução e que guarda, até hoje, traços de sua história. Caminhos de Chico Mendes: Este roteiro permitirá ao turista conhecer e vivenciar o dia-a-dia de um seringal tradicional da primeira metade do século XX e conhecer o modo de vida dos seringueiros e extrativistas. O turista entrará em contato com a natureza amazônica e a história de Chico Mendes, que liderou a luta dos povos da floresta e ficou Resultado de imagem para caminho de chico mendesconhecido mundialmente pela defesa da Amazônia. Nascido num seringal, o sindicalista viveu e morreu defendendo a preservação dos recursos naturais. Sua luta à região vai se deparar com grandes áreas de floresta nativa e uma população que vive dos recursos extraídos desta floresta. Caminhos do Pacífico: O roteiro Caminho do Pacífico é desenvolvido com foco no fortalecimento turístico dos municípios fronteiriços acreanos com os vizinhos países Peru e Bolívia, num chamado à integração latino-americana. A diversão começa na capital acreana, Rio Branco, passando por diversas paisagens dominadas pelo verde, rica fauna e grande riqueza cultural pelos municípios de Epitaciolândia, Brasiléia e Assis Brasil, localizado na tríplice fronteira. Esse roteiro possibilita a conexão das rotas turísticas acreanas com a Rota Internacional Amazônia - Andes - Pacífico. Capital Rio Branco O estádio Arena da Floresta é um dos mais modernos do País Com objetivo de fortalecer o turismo na região do Juruá, o governo do Estado por meio da Secretaria de Turismo quer inaugurar até o fim do ano a rota caminhos da aldeia. A intenção é mostrar para o mundo o potencial do Parque Nacional da Serra do Divisor. O lugar possui a maior concentração de biodiversidade do planeta e é ideal para turismo ecológico. O Parque Nacional da Serra do Divisor está localizado nos municípios de Rodrigues Alves, Porto Walter,Imagem relacionada Marechal Thaumaturgo, Mâncio Lima e Cruzeiro do Sul, no estado do Acre, Brasil, na fronteira com o Peru. Numa região de transição das terras baixas da Amazônia e as montanhas dos Andes. Possui uma área de 843.000 hectares, sendo o quarto maior parque nacional brasileiro. Várias populações indígenas habitam o parque, tanto que já está sendo demarcada a futura reserva indígena do Rio Moa, além de seringueiros que já residem lá a algumas gerações. De acordo com o secretário, 2 milhões de reais foram captados junto ao BNDES para fortalecer as rotas já existentes (caminhos da Revolução, caminhos de Chico Mendes e caminhos do Pacífico) e a criação desta quarta rota na Serra do Divisor. "O turismo é uma das grandes fontes de renda do planeta e o Acre precisa estar inserido nesse contexto", comentou Cassiano. O Banco da Amazônia também está disponibilizando R$ 11 milhões em empréstimo para fomentar as empresas ligadas ao setor no Estado. Ponte da Brasiléia Vai: ligar o Brasil à Bolívia, através da cidade de Cobija, capital do Departamento equivalente ao Estado de Pando, Lula, Carlos Mesa e Alexandre Toledo e Jorge Viana, vão a Assis Brasil, 111 quilômetros de distância, na fronteira com o Peru, lançar a pedra fundamental de outra ponte, também sobre o rico Acre, a ser entregue no ano de 2005. A ponte de Assis Brasil vai ligar o país ao Peru através da cidade de Iñapari, um vilarejo de pouco mais de uns mil habitantes que habitam a primeira cidade após os limites do Brasil na rota com destino a Puerto Maldonado e de lá ao Andes. O encontro dos três presidentes na fronteira do Acre com a Bolívia e o Peru está sendo recebido como o primeiro grande passo para a política de intensificação das relações bilaterais que deverá culminar, por exemplo, com a extinção de passaportes entre os três Resultado de imagem para caminho de chico mendespaíses. A outra conquista resultante do encontro presidencial na região deverá ser a possibilidade de um brasileiro, boliviano ou peruano poder morar num país e trabalhar no outro sem a necessidade de apresentar documentos a cada vez que tiver que passar na fronteira. Manejo do pirarucu em Manuel: Urbano garante repovoamento da espécie nos lagos e fonte de renda para a comunidade de pescadores. Estrada do Pacifico A Estrada do Pacifico foi construída para servir como um dos principais corredores de exportação para o mercado asiático e europeu. Ao menos esse foi o discurso à época da construção e da inauguração. Por enquanto, as grandes carretas e caminhões ainda não pegaram à estrada. O que se vê são sinais do passado, por meio dos carros de boi. Casa do povo da floresta Para quem quer conhecer as riquezas e belezas que as tradições dos índios e ribeirinhos têm a oferecer ao povo acreano, a Casa dos Povos da Floresta, inaugurada em 2003, é o lugar ideal. O espaço abriga um pouco da história e dos costumes dos povos d floresta, ribeirinhos, seringueiros e índios, bem como imaginário de homens, mulheres e crianças que fazem da floresta um lugar bom pra se viver. Com arquitetura inspirada nas malocas indígenas, a casa é equipada com uma sala de projeção para documentários e uma biblioteca, que apresentam temáticas voltadas para a realidade amazônica. Além disso, há ainda uma loja de artesanatos e dois espaços para exposições, uma permanente onde estão expostos lendas e mitos da cultura acreana e outra que abrigam trabalhos de artistas locais. A passarela Governador Joaquim Macedo: em Rio Branco, foi inaugurada há dois anos e hoje é um dos principais cartões-postais da capital do Acre. A obra simboliza as transformações urbanas pela qual a cidade vem passando desde o início dos anos 2000. Sou suspeito para falar da passarela, pois além de ser um grande admirador de pontes e estruturas arquitetônicas arrojadas, tenho um profundo carinho pela cidade. A passarela estaiada (onde a estrutura da ponte é fixada através de cabos) tem 200 metros de extensão e 5,50 metros de largura. Usada exclusivamente por pedestres e ciclistas, a ponte cruza o rio Acre unindo o Centro da cidade ao bairro do Segundo Distrito. Segundo o Detran, cerca de 10 mil pessoas cruzavam o rio diariamente, mas antes tinham que dividir a passagem com automóveis motos e caminhões nas duas antigas pontes que cruzam o rio. Agora, com uma passarela exclusiva, os acreanos além de ganharem em mobilidade têm um belo monumento. Minha recomendação é que o passeio seja feito em duas vezes: pela manhã e pela noite. É dois momento diferentes onde a beleza da passarela e seu entorno podem ser admiradas e fotografadas!  Atrativos Naturais do Acre: Conhecer o Acre é um privilégio para aqueles que admiram o espírito guerreiro do povo Amazônico. Marcado na história como "o Brasil que o Brasil não queria", o Estado hoje é um dos principais exemplos de persistência e amor à soberania nacional. Palco de um passado glorioso, o Estado é o berço de grandes personalidades como Chico Mendes, Barão do Rio Branco e Galvez, o "Imperador do Acre". A Pousada Ecológica Seringal: Cachoeira, localizada em Xapuri, é um exemplo bem sucedido de Parceria Público Comunitário (PPC). O governo do Acre construiu, capacitou mão-de-obra e passou a administração do local para a associação dos seringueiros da Reserva Extrativista. O empreendimento, réplica de uma casa seringueira, O forte da pousada é o Ecoturismo com incursões pela selva amazônica, que a circunda. O turista assiste a demonstrações de extração do látex das seringueiras e pode abraçar árvores centenárias, como uma Sumauma de 500 anos. O guia Nilson Mendes, um contador de histórias, sabe tudo sobre a mata: serventia das plantas, nome científico e popular das espécies, os hábitos dos animais e até os encantos dos espíritos que ali habitam.