logo

Pesquisar

Rio Grande do Norte

1377286247bandeira-rio-grande-do-norte

 

RIO GRANDE DO NORTE


HISTÓRIA DO RIO GRANDE DO NORTE: 
O Rio Grande do Norte faz parte da região do Nordeste brasileiro, localizado entre o Ceará e a Paraíba. Tem como limites ao norte e leste o oceano Atlântico, que banha todo o seu litoral, ao oeste o Estado do Ceará, separado pelo rio Jaguaribe e ao sul o Estado da Paraíba, separado pela Baia da Traição. Mesmo sendo um dos menores Estados do Brasil, com seus 53.015 km2, possui grande quantidade de recursos naturais. No passado seu litoral era repleto de árvores de Pau-brasil, de grande valor na época do descobrimento, o que levou os franceses a se instalarem na costa da região, antes mesmo de se formar a Capitania do Rio Grande estabelecendo o tráfico do Pau-brasil. AS ATIVIDADES ECONÔMICAS DO RIO GRANDE DO NORTE, desde o inicio de sua colonização, sempre estiveram ligadas a agricultura e a criação de gado, tendo como destaque na sua produção: o algodão, sal marinho, sisal, cana de açúcar, milho, feijão, banana, batata doce, etc. É detentora das maiores salinas do país e de um litoral de cerca de 410 km de extensão. A SUA LOCALIZAÇÃO INSERIDA NUMA REGIÃO sujeita à periódicas secas, prejudica bastante a sua população que perde plantações e gado pela falta d água, e que, muitas vezes precisa fugir para as cidades em busca de sobrevivência. Natal, a capital do Rio Grande do Norte, sobressaiu-se bastante por ocasião da II ª Guerra mundial, quando se tornou centro atenções nacionais e internacionais, não somente pela construção da base aérea americana, mas, sobretudo pela presença dos soldados dos EEUU, o que modificou bastante os costumes locais com a introdução de muitos dos seus hábitos no dia a dia. A população de Natal hoje é de 709.536 habitantes. NO COMEÇO DESTE SÉCULO, O RIO GRANDE DO NORTE possui 166 municípios, divididos em dez regiões: Salineira Norte-rio-grandense, Litoral de São Bento, Açu e Apodi, Sertão de Angicos, Serra Verde. Natal, Serrana norte-rio-grandense, Seridó, Borborema Potiguar e Agreste Potiguar. Conheça o Historicamente, o Rio Grande do Norte surgiu com a divisão do Brasil em Capitanias hereditárias, em 1533, e a concessão por D.João III das terras que se estendiam a partir da Baia da Traição (limite sul) até o rio Jaguaribe,  ao cronista João de Barros, além de mais 50 léguas de parceria com Aires da Cunha. COMEÇAVA A EXISTIR A CAPITANIA DO RIO GRANDE, cuja conquista e colonização, depois de várias tentativas frustradas, somente foi efetivada já no final do século, em 1598. Por conta da sua posição geográfica, as terras do Rio Grande foi possivelmente um dos primeiros pontos visitados no litoral brasileiro, antes mesmo da chegada dos portugueses. A necessidade de consolidar o domínio português nas terras que se encontravam abandonadas, com a presença constante de visitantes estrangeiros no seu litoral, fez o governo português tomar novas medidas com relação à Capitania do Rio Grande, nessa altura já de posse da Coroa, que a havia comprado aos filhos de João de Barros. Dessa forma foram  cumpridas as determinações reais aos donatários Mascarenhas Homem, de Pernambuco e Feliciano Coelho da Paraíba, de conquistar as terras, construção de um forte para a sua defesa e fundação de uma cidade para ser iniciada a obra da colonização. Foi CONSTRUÍDA A FORTALEZA DOS REIS MAGOS, concluída a 06 de janeiro, cuja planta da autoria de Frei Gaspar de Samperes, obedecia a característica das construções coloniais portuguesas. Depois disso foi necessária a pacificação da massa indígena que habitava a região cujos ataques constantes punham em perigo a vida do homem branco. A presença de Jerônimo de Albuquerque, de origem mestiça, que viera com Resultado de imagem para homofobiaa expedição de Mascarenhas Homem, foi de fundamental importância para a sua realização..Encarregado  de estabelecer as pazes com os chefes Pau Seco e Sorobabe, Jerônimo consolidou com sucesso a sua missão na Paraíba, em junho de 1599, e tudo indica (pela falta de um documento explicito sobre o assunto) que ao voltar ao Rio Grande, teria ele, Jerônimo de Albuquerque, completado a última determinação real, de fundar uma cidade. A 24 de dezembro de 1599, era fundada a cidade de Natal, tendo como ponto original o local elevado onde hoje se localiza a Pça. André de Albuquerque, Largo da Matriz. Ai foi erguido uma pequena capela onde foi celebrada missa, capela essa que através das reformas e do tempo permanece ainda hoje a velha catedral. A capitania era habitada no litoral pelos índios do grupo