logo

Pesquisar

Paraíba e sua História

 

1377286118bandeira-paraiba

 

PARAÍBA

 

 

A Bandeira Da Paraíba Foi Adotada Pela Aliança Liberal Em 25 De Setembro De 1930, por meio da Lei nº 704, no lugar deResultado de imagem para paraíba pontos turísticos uma antiga bandeira do estado, que vigorou durante quinze anos (de 1907 a 1922). A bandeira foi idealizada nas cores vermelha e preta, sendo que o vermelho representa a cor da Aliança Liberal e o preto, o luto que se apossou da Paraíba com a morte de João Pessoa, presidente do estado em 1929 e vice-presidente do Brasil em 1930, ao lado do presidente Getúlio Vargas.João Pessoa, presidente do estado em 1929 e vice-presidente do Brasil em 1930. A palavra, "NEGO", QUE FIGURA NA BANDEIRA: É A CONJUGAÇÃO DO VERBO "NEGAR" no presente do indicativo da primeira pessoa do singular, remetendo a não aceitação, por parte de João Pessoa, do sucessor indicado pelo então presidente do Brasil, Washington Luís. Posteriormente, em 26 de julho de 1965, a bandeira rubro-negra foi oficializada pelo governador do estado, Pedro Moreno Gondim, através do Decreto nº 3919, como "Bandeira do Nego" (à época ainda com acento agudo na letra "e"). O preto ocupa um terço da bandeira; o vermelho, dois terços. Existe um pequeno movimento hoje em dia que tenta mudar a bandeira do estado assim como o nome da capital, pois foi alterado na época da morte do político João Pessoa, morte esta que causou grande comoção em todo o estado. Porem a grande maioria dos paraibanos se mostra contrários a estas alterações. À época do descobrimento do Brasil a Coroa Portuguesa mantinha um grande e rentável comércio de especiarias com as Índias. Esse comércio desmotivou Portugal a explorar economicamente as riquezas brasileiras até a metade do século XVI, porquanto aqui não encontraram de início, nem o ouro nem a prata tão valiosos no mercado europeu. Nesse período, piratas navegantesImagem relacionada franceses freqüentavam o nordeste brasileiro e se davam muito bem com os nativos: trocavam quinquilharias pelo pau-brasil de cuja casca extraia um pigmento vermelho muito utilizado para colorir tecidos em toda a Europa. No início de 1574 a jovem filha de Iniguaçu, chefe potiguara, foi aprisionada pelo proprietário do engenho Tracunhaém na capitania de Itamaracá, hoje pertencente ao município de Goiana, em Pernambuco. Os potiguaras, por vingança e insuflados pelos franceses, atacaram e incendiou o engenho, matando todos os moradores, ato que ficou conhecido com "A CHACINA DE TRACUNHAÉM". O incidente urgiu Portugal para a necessidade de maior controle da região, visando extinguir a presença de franceses em nosso litoral e evitar, no futuro, qualquer possibilidade de ataque indígena à Vila de Olinda e engenhos da região. Em resumo, tornou-se urgente garantir o monopólio do açúcar e o poder econômico da Capitania de Pernambuco, principal centro produtivo da colônia, como também iniciar o avanço sobre as terras ao norte. Assim, no mesmo ano de 1574, o jovem Rei D. Sebastião resolveu desmembrar a Capitania de  Itamaracá, criando a Capitania Real da Paraíba a partir de Igarassu, no Sentido norte, até a Baía da Traição. Ocorre que grande parte dessa área era habitada pelos índios potiguaras, povo de índole guerreira, e isso foi um complicador que atrasou em 11 anos a conquista do território. Somente após 5 expedições, e com o apoio dos índios tabajaras, os portugueses conseguiram derrotar os potiguaras, expulsar os franceses e fundar a Cidade Real de Nossa Senhora das Neves no dia 05 de agosto de 1585. A Cidade de Nossa Senhora das Neves foi à terceira cidade fundada no Brasil do século XVI (1501-1600) após Salvador (1549) e Rio de Janeiro em 1565. Apesar de derrotados os valentes potiguaras continuaram a infernizar os habitantes da cidade até 1599, já sem apoio dos franceses que forneciam suprimentos uma epidemia arrasadora de varíola trazida pelos colonos europeus, foi pressionada a assinar a paz com o Imagem relacionadaResultado de imagem para paraíba pontos turísticosgovernador Feliciano Coelho de Carvalho e se retiraram para o norte. Cidade Real de Nossa Senhora das Neves O marco zero de fundação da cidade foi escolhido 18 Km acima da embocadura do Rio Paraíba, numa colina que domina todo o atracadouro na margem direita do Rio Sanhauá, afluente do Paraíba. Além do cuidado com a defesa da povoação o local visava facilitar o comércio e o apoio militar à vizinha Capitania de Pernambuco. A povoação, por estar sob domínio da União Ibérica desde 1580, teve as primeiras ruas edificadas dentro de uma geometria de traçados regulares, obedecendo aos padrões encontrados nas demais colônias espanholas do continente americano, o que diferia das povoações fundadas pelos portugueses. Ate chegar ao nome de hoje já passou por. 1585: Cidade Real de Nossa Senhora das Neves, foi o nome escolhido quando da sua fundação, no dia 5 de agosto, em homenagem ao santo do dia. 1588: Filipéia de Nossa Senhora das Neves em homenagem ao Rei Filipe II da Espanha, durante o período em que a Coroa Portuguesa foi incorporada à Coroa Espanhola (União Ibérica 1580-1640). 1634: Friederickstadt (Cidade de Frederico) ou Frederica em homenagem ao príncipe de Orange, Frederico Henrique de Nassau, durante os 20 anos de ocupação holandesa no nordeste brasileiro. 1654: Cidade da Paraíba ao iniciar o período de restauração após a expulsão dos holandeses do nordeste brasileiro. 1930: João Pessoa numa homenagem ao político João Pessoa de Albuquerque, paraibano de Umbuzeiro, então presidente do Estado da Paraíba, assassinado na