logo

Pesquisar

Os Municípios de Alagoas

COSTA DOS CORAIS: O litoral norte de Alagoas é conhecido como Costa dos Corais, possui a segunda maior barreira de corais do mundo. São 130 km realçados pelo Resultado de imagem para alagoas turismoverde dos coqueiros e o azul intenso do mar. A exuberância das piscinas naturais e biodiversidade da vida marinha são atrações à parte e de uma beleza indescritível. Vários municípios fazem parte desse cenário rico em atrativos, onde a natureza reina absoluta e oferece os melhores serviços aos visitantes. Distante 36 km do centro de Maceió, nome que significa “águas mansas”. A cidade originou-se a partir de uma colônia de pescadores, e a proximidade com Maceió passou a ser área de veraneio. Até 1988 o povoado pertencia ao município de Barra de Santo Antônio. A população é de 10 mil habitantes e a economia são geradas pela pesca, turismo e cana-de-açúcar. O município possui infraestrutura, belas praias a exemplo de Paripueira e Sonho Verde e a maior concentração de piscinas naturais do Brasil. É um recanto ecológico onde foi criado o primeiro Parque Municipal de Preservação do Peixe-Boi na América Latina. BARRA DE SANTO ANTONIO: Barra de Santo Antônio fica a 45 km de Maceió, sua população é de aproximadamente 15 mil habitantes. O município, as margens do Rio Santo Antônio, rio que deu origem ao nome da cidade, se divide na simplicidade da vida dos seus nativos e na grandiosidade de alguns monumentos históricos da arquitetura holandesa do Resultado de imagem para alagoas turismoséculo 18. A maior riqueza do município é o patrimônio natural, possui um grande rio margeado por manguezais, belas praias como Tabuba, Carro Quebrado e a Ilha da Croa. Fora os atrativos naturais Barram de Santo Antônio possui infraestrutura para receber seu visitante. PASSO DE CAMARAGIBE: Distante 89 km de Maceió, tem uma população de aproximadamente 14 mil habitantes, é cidade natal de Aurélio Buarque de Holanda. A margem do rio Camaragibe, começou o povoado de Passo, ponto em que o rio oferecia mais facilidade na passagem dos que vinham de Pernambuco para Alagoas e era ponto de apoio para os navios holandeses, daí a origem do nome, que passou a ser cidade em 1880 e fez parte dos acontecimentos históricos devido à invasão holandesa. Pousadas e Hotéis fazendas fazem parte da paisagem desse município que tem no cultivo do Coco da Bahia, cana-de-açúcar, pesca e pecuária suas principais atividades econômicas e tem o Coco de Roda e Samba Matuto, os representantes da cultura popular. Os visitantes se encantam com a riqueza do potencial natural: rios, lagoas e manguezais com uma topografia dinâmica contendo morros e penhascos, além de um mar exuberante de recifes e corais, as praias de Barra de Camaragibe, Marceneiro e dos Morros são eleitas como as mais belas. Conta-se que um pescador muito doente encontrou uma imagem de São Miguel numa praia e se curou da doença imediatamente, daí a origem do nome da cidade. Imagem relacionadaO seu espaço físico tranquilo e paradisíaco é dividido com as encantadoras pousadas que tem uma das melhores culinária e se destacam por ser um dos circuitos de hospedagem mais charmosos do Brasil. Um passeio de barco nas águas do Rio Tatuamunha é possível ter um fantástico encontro com peixe-boi nadando entre os manguezais. As Praias do Toque, Porto da Rua e São Miguel dos Milagres são atrativos do município. No alto do Morro do Cruzeiro pode-se sentir o quanto é encantadoramente bela a magnífica paisagem litorânea. PORTO CALVO: ficam a 96 km de Maceió, com uma população estimada em 25 mil habitantes e está situada a 35 metros acima do nível do mar. A origem do nome provem de uma lenda: Conta-se que um velho calvo, morava às margens do rio e construiu um porto. Em 1889, a freguesia do século 16, passou a ser cidade. Tem como filhos ilustres Zumbi, Guedes de Miranda e Domingues Fernandes Calabar que ficou famoso na historia do país por ter se aliado aos holandeses, alguns historiadores o considera um herói e outros o jugam de traidor. Apesar de ser uma cidade muito antiga, Porto Calvo é um munícipios moderno, atualmente é apenas uma referência histórica que pode ser constata-nos poucos acervos existentes do século 16: O exemplo da Igreja de Nossa Senhora da Apresentação, considerada monumento nacional, tombado em 1955 e o Alto da Forca. PORTO DE PEDRAS: Distante 128 km de Maceió, tem uma bela paisagem entre o mar e uma encosta de pedras; o que deu origem ao nome do povoado, que passou a ser município em 1921, e tem uma população de 11 mil habitantes. Em 1633, Porto de Pedras sofreu a invasão dos holandeses, mas os portugueses conquistaram o domínio de volta, e parte dessa época ainda está preservada na conservação de alguns prédios dos séculos 17 a 19. Um farol, localizado no alto do morro, deu a cidade um toque de charme e do alto pode-se observar a imensidão do litoral formado por lindas praias. Praia de Tatuamunha e Praia do Pataxó fazem parte das praias quase intocadas e de imensa beleza, é nessa tranquilidade que vive um casal de peixes-boi. A travessia de balsa pelo Rio Manguaba que divide o município com o de Japaratinga apresenta um cenário apaixonante, são coqueiros, mangues de belezas exóticas que reinam absoluta numa demonstração de harmonia. JAPARATINGA: Distante 121 km de Maceió, tem aproximadamente oito mil habitantes, o município deve suas  origens a uma colônia de pescadores que começou a se desenvolver a partir do século 19 com o início do ciclo do coco.   Até 1960 Japaratinga pertencia a Maragogi, Hoje, é um importante polo turístico, tem excelente infraestrutura com restaurantes, hotéis e pousadas de charme, que fazem o diferencial na qualidade dos serviços. A beleza exótica das fazendas de coqueirosImagem relacionada pode ser admirada por passeios a cavalo, os rios e riachos podem ser contemplados nos passeios de barcos, e as praias que fascinam a exemplo de Barreira do Boqueirão, Bitigui e Japaratinga são alguns atrativos que encantam os visitantes. A cidade tem construções do século 18. A Igreja Matriz, construída pelos holandeses, mantém suas características originais. O artesanato típico da cidade é confeccionado com a palha do coqueiro. MARAGOGI: Distante 131 km de Maceió, com uma população de 25 mil habitantes, é o segundo destino mais procurado de Alagoas.  Devido ao rio que banha o local, Maragogi que significa “rio livre” deu nome ao povoado em 1892. A excelente infraestrutura turística, vários hotéis, pousadas, hotéis fazenda, restaurantes, centros de artesanato e várias opções de lazer agregam a qualidade dos serviços do município. Cenários como vilas de pescadores, fazendas com reservas e trilhas de mata atlântica, abundância de coqueirais, praias belíssimas de águas cristalinas, em destaque as praias de São Bento, Peroba, Burgalhau, Barra Grande e as galés, que ficam a 06 km da costa, formadas por recifes de corais são algumas das riquezas naturais do município. Maragogi tem um dos ecossistemas mais importantes do Brasil, a diversificada fauna e flora de espécies marinhas são um paraíso para os olhos dos que são apaixonados por mergulhos. Navegar pelos rios admirando os preservados manguezais, passear de Buggy por belas praias, praticar eco bike, tomar banhos de bicas, cachoeiras, são algumas das opções para quem procura contato com a natureza. Se aventura é o que você busca, Alagoas é o lugar. As praias, sempre convidativas, propiciam a pratica de diversos esportes, seja na areia ou no mar. As serras permitem, em suas matas, prazerosas caminhadas e revigorantes banhos de cachoeira além da prática do rapel. No sertão, as trilhas na caatinga e a tirolesa no Velho Chico tiram o fôlego de qualquer amante da aventura. MACEIÓ – A prática de Wind surf, kit surf, wake board, jet-ski, mergulho de observação e de naufrágio, pesca de arremesso e ciclo turismo, são a modalidades recomendadas para se praticar na Capital de Alagoas. BARRA DE SANTO ANTONIO: A 45 km de Maceió fica uma das praias mais bonitas do Brasil - Praia de Carro Quebrado -, que apresenta cenário ideal para desligado Road. MARAGOGI – Fica no litoral norte de Alagoas, a 131 km de Maceió, ideal para turismo ecológico, cavalgadas, ciclo turismo e caminhadas pela reserva de Mata Atlântica ou em fazendas do século 19.  As atividades náuticas como mergulho com cilindro e snorkel, caiaque e pesca de arremesso são bastante procuradas por apresentar ambientes propícios. Mergulho em Maragogi MARECHAL DEODORO – Distante 20 km de Maceió localiza-se a Praia do Francês, onde se pratica as atividades de windsurfe, mergulho em naufrágio, pescaImagem relacionada de arremesso e banana boot. BARRA DE SÃO MIGUEL   – Fica a 30 km de Maceió, a atividade náutica como Wind surf e, a pesca de arremesso e canoagem, são práticas bastante procuradas. Tem um belo cenário para a prática do ciclo turismo. ROTEIRO - Distante 34 km de Maceió, é ideal para o ecoturismo, pesca de marisco, wake board, banana boot, Jet Ski e na ponte do Gunga, pratica-se o rapel. PIAÇABUÇU – A 135 km de Maceió fica a praia do Pontal do Peba, com 21 km de extensão, são ideais para prática de paresiai, sandboard e trekking. Anualmente, no mês de novembro, acontece à gincana de pesca de arremesso, evento nacional. Praia com dunas altas, areias alvas e vasto coqueiral, é Área de Proteção Ambiental e abriga um rico ecossistema: mangues, restinga, dunas, coqueirais, aves migratórias e tartarugas. É um verdadeiro santuário ecológico. CHÃ PRETA - Distante 95 km de Maceió, conta com uma plataforma natural com altitude de 846 metros, na Serra do Cavaleiro, ideal para o voou livre, salto de asa delta e paraglider. PIRANHAS - Fica a 280 km de Maceió. Destino perfeito para quem gosta de passeios ecológicos e de aventura em meio à vegetação da caatinga. As trilhas do Rio Capiá, da Via Férrea, do Mirante do Talhado, da Pedra do Sino, são algumas das principais atrações para quem gosta de atividades que meche com o corpo e a mente. O mergulho nas águas profundas no cânion do Rio São Francisco é mais do que uma ação, é pura emoção. DELMIRO GOUVEIA – A 300 km de Maceió, o ambiente é ideal para as caminhadas nas trilhas. Para se praticar tirolesa, bungee-jump e rapel, o local mais apropriado é a ponte entre os municípios de Delmiro Gouveia e Paulo Afonso. MURICI  – Distante 81 km da capital, o lugar apresenta cenário para o ecoturismo e algumas atividades de aventura.  Tem a maior reserva de Mata Atlântica de Alagoas, possui várias trilhas e cachoeira com 72 metros, perfeita para prática de rapel. Cachoeirismo em Murici UNIÃO DOS PALMARES   – A 83 km de Maceió fica a Serra da Barriga, que abriga o Parque Memorial Quilombo dos Palmares, em HOMENAGEM AO LIDER ZUMBI. É ideal para o ecoturismo em meio à magia da vegetação nativa. Do alto da Serra, deslumbra-se de uma bela paisagem realçada pelas palmeiras reais e o rio Mundaú. ALAGOANOS QUE FAZEM PARTE DA HISTÓRIA E CULTURA ZUMBI DOS PALMARES  – Criado por um padre, em Porto Calvo, aprendeu a ler e escrever. Líder nato, Zumbi constituiu o maior núcleo de resistência escravagista do Brasil, no chamado Quilombo dos Palmares, que tinha na época 30 mil integrantes. A sede era na Serra da Barriga, no município de União dos Palmares, a 86 km de Maceió. MARECHAL DEODORO DA FONSECA – Nasceu na cidade de Alagoas, que, em sua homenagem, a cidade passou a ter seu nome. Foi o Proclamador e Primeiro Presidente da República. Na casa onde nasceu funciona um museu com móveis, objetos e fotos, que retratam a sua história. Marechal Floriano Peixoto - Foi 2º Presidente do Brasil, nascido no povoado de Ipioca, em Maceió, no ano de 1839. Graciliano Ramos – Escritor, político, nasceu em Quebrangulo em 1892, mas foi na cidade de Palmeira dos Índios, onde foi prefeito, que ganhou projeção. Na cidade existe um museu que leva seu nome, contendo um importante acervo de suas obras e de sua vida. Jorge de Lima – Poeta, natural de União dos Palmares. Na casa em que ele nasceu funciona um Centro Cultural, onde há um acervo sobre sua vida e obra. Théo Brandão – Nascido em Viçosa, foi médico, farmacêutico, pesquisador, professor, poeta e folclorista. É reconhecido internacionalmente por suas pesquisas e dedicação à cultura popular. Aurélio Buarque de Holanda - Nasceu em Passo de Camaragibe. Tinha uma inteligência privilegiada, apaixonado pelas palavras.  Depois de muitos anos de pesquisas, em 1975, publicou o dicionário que leva seu nome. Ficou conhecido internacionalmente como “Mestre”.  Fez muitos pronunciamentos sobre assuntos literários e linguísticos, em vários países. Nelson da Rabeca – Nasceu na cidade de Marechal Deodoro, e passou sua vida humilde trabalhando no corte da cana de açúcar. Já velho, dedicou-se à música. Com um pedaço de madeira de jaqueira, fabricou uma autêntica rabeca, semelhante ao violino, sendo bem rústico.  Hoje é reconhecido nacionalmente.