logo

Pesquisar

Copa do Mundo/Olimpíadas/Jogos Indíginas

A Confederação Brasileira do Desporto Universitário (CBDU). Queremos realizar a edição de 2019 da Universíade de maneira integrada entre o Comitê Organizador e Fisu para proporcionar a melhor experiência desportiva aos universitários e um legado específico para universidades Brasília foi escolhida para sediar em 2019 a Universíade deixará um legado como a construção de equipamentos para diversas modalidades esportivas,como a construção da Vila Universitária, a reforma dos ginásios Nilson Nelson e Cláudio Coutinho, a construção de alojamento para receber os atletas. Além disso, o legado servirá de incentivo à prática esportiva na capital. prevê apresentação dos aspectos técnicos da candidatura, visita às instalações esportivas e audiências com autoridades federais e de Brasília. A Capital Federal, cada dia mais no foco dos megaeventos esportivos ou técnicos receberá entre novembro e dezembro deste ano os Jogos Mundiais Escolares – Gymnasiade, também é cidade-sede da Copa do Mundo de 2014 e subsede das Olimpíadas 2016. Na tarde de quinta, o grupo se reuniu no Palácio do Planalto com a presidenta Dilma Rousseff, o ministro do Esporte, Aldo Rebelo, o governador do Distrito Federal, e o o presidente da Confederação Brasileira do Desporto Universitário (CBDU)l. Os jogos reúnem mais de 8.700 universidades de todo o mundo e 12 mil atletas universitários, entre 17 a 28 anos participam tradicionalmente dos jogos, que ocorrem de dois em dois anos. A próxima Universíade será em 2015, em Gwangiu, na Coreia do Sul. O atual programa da Universíades exige a disputa nos seguintes esportes: atletismo, basquete, esgrima, futebol, ginástica artísticas e rítmica, judô, natação, polo aquático, saltos ornamentais, tênis, vôlei e tênis de mesa. A proposta brasiliense é que sejam incluídas cinco modalidades: futebol de areia, futsal, triatlo, vela e vôlei de praia.